quinta-feira, 16 de abril de 2009

Tomé Gregório de Lacerda

1831, Ribeira Seca (S. Jorge) - 1876, Horta (Faial)


Tomé Gregório de Lacerda era organeiro na ilha de São Jorge. Filho de João Caetano de Sousa, natural da Ribeira Seca, e de Maria Otília Forjaz de Lacerda, natural das Ribeiras da ilha do Pico, nasceu a 8 de Dezembro de 1831. Tio do compositor açoriano Francisco de Lacerda.

Este organeiro construía os instrumentos, copiando outros órgãos e seguindo instruções colhidas em Angra do Heroísmo pelo Pe. Silvestre Serrão. Em 1854-55 construiu um órgão para a igreja da Ribeira Seca, em substituição de um organete importado em 1822. Posteriormente construiu mais três orgãos que foram instalados nas igrejas de: Calheta de Nesquim, na ilha do Pico, em 1859; Velas, na Ilha de São Jorge, em 1865; Piedade, na ilha do Pico, em 1874.

Com a idade de 45 anos, faleceu na cidade da Horta (ilha do Faial), no dia 2 de Dezembro de 1876.




Órgãos Construídos - 4

- Igreja de São Tiago Maior - Ribeira Seca - São Jorge (1854-55)
- Igreja de São Sebastião - Calheta de Nesquim - Pico (1859)
- Igreja Matriz de São Jorge - Velas - São Jorge (1865)
- Igreja de Nossa Senhora da Piedade - Piedade - Pico (1874)


Intervenções de Restauro - 0




Fontes:
- São Jorge Digital
- Folheto informativo do CD "Os Mais Belos Órgãos de Portugal - Açores"

3 comentários:

Luís Henriques disse...

Já me tinha cruzado com este nome em várias ocasiões e desde logo o associei ao grande compositor. Pelos vistos não me enganei, contudo pensei que fosse um parente mais próximo (irmão ou primo). Esse esboço biográfico provém de algum livro específico ou apareceu no site por "magia" [tentei entrar seguindo o link no final do artigo mas deu-me sempre erro de ligação]

Cumprimentos

Eco... disse...

Olá de novo

Ao que parece, surgiu "por magia"... Não vem nenhuma indicação de fonte no site.

Brevemente irei acrescentar mais informações a este esboço, retiradas de um folheto da colectânea de cds "Os Mais Belos Órgãos de Portugal - Açores".


Até breve

Eco... disse...

P.S. Corrigi "Avô do compositor" para "Tio do compositor", após consulta de fontes (o tal folheto).